Páginas

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Os Doshas parte II

Vata e seus Vayus

Na ayurveda, o corpo é uma combinação biológica dos cinco elementos. Quando a proporção dos elementos Éter e Ar estão em maior quantidade na constituição de um organismo em relação aos outros elementos (fogo, água e terra), dá-se o nome de Vata ou Dosha Vata a este biotipo.

As pessoas do biotipo Vata são de estrutura corporal leve e longilínea, metabolismo e fome instáveis e tendem a perder peso com facilidade. Externamente, apresentam pele seca, assim como as mucosas e os cabelos e sentem bastante frio. Adaptáveis como o ar e criativos como o éter, as pessoas vata são inspiradoras, possuindo forte veia artística e, devido a sua sensibilidade, tornan-se apreciadores das artes e das práticas espirituais. Ágeis, tendem a fazer muitas coisas ao mesmo tempo, tornando-se muitas vezes dispersos. Quando desequilibrado pode sofrer de ansiedade e depressão. É muito comum que as pessoas deste dosha relatem inônia, constipação e dores pelo corpo, principalmente na coluna, tendo inclinação para doenças como fibromialgia, doenças, perda de memória, escoliose e rigidez articular. Energéticamente, seus corpo e mente funcionam em explosões repentinas, por esta razão cansam facilmente.
Outras características do biotipo: entusiasmo, vivacidade, excitabilidade e variação repentina no humor, rapidez em adquirir novas informações e em esquecê-las, tendência a preocupação e ao medo, desorientação sensorial, vertigem, confusão e fala incoerente.







No corpo humano Vata governa todas as funções nervosas e os movimentos. Pode ser encontrado na parte interna dos ossos (porosidades cheias de ar e éter), pele, cabelos, ouvidos, funções nervosas do cérebro, baixo abdome e cólon, tendo como principal órgão sede e de acúmulo o intestino grosso.
Atributos: frio, leve, seco, claro, adaptável, móvel e áspero.



Vata Vayus
Ampliando o estudo do dosha Vata, chegamos ao estudo dos sub-doshas de Vata, chamados de Vayus, muito importantes na fisiologia da Medicina Ayurvédica.

1. Prana Vayu é a forma do ar em nosso organismo responssável pela inalação, o movimento da mente, pensamentos, sentimentos, emoções e percepção. Tem o movimento para dentro, introspectivo. Coordena os sentidos, a coerência de pensamento a antenção e a estrada de conhecimento a nível superior do Eu. Quando praticamos pranayama (exercícios respiratórios), estamos praticando o controle de prana que gera a capacidade de desconectar a mente e os sentidos levando á introspecção. Estando Prana em desequilíbrio, sinais como sinusite, desordens respiratórias, medo, raiva, asma, enxaquecas, fadiga e doenças nervosas como parkinson e epilepsia podem se manifestar.


2. Udana Vayu movimenta o ar para cima e para fora. Esta energia é responssável pela exalação e faz a manutenção da saúde e vivacidade da pele e da compleição e está relacionado com a tireóide e o quinto chakra (Vishuda), ligados a nossa expressão tanto verbal quanto existencial. Problemas com Udana geram desequilibrios ligados também a tireóide e a expressão, assim como bloqueio, sobreatividade ou infra-atividade da circulação energética no Vishuda. Um ótimo trtamento para os desequilíbrios de Udana é cantar.


3. Samana Vayu pode ser encontrado no intestino delgado, e é considerado a inteligência que controla tudo na digestão, a inteligência do intestino em separar o que é alimento e o que será excretado pelo organismo. Em nível sutil samana, que também significa equilíbrio, tem a função de converter o Não-Eu no Eu e faz a coneção entre a parte superior e inferior do ser humano ou corpo e espírito. É responssável pela sensação de fome e está intimamente conectado com agni (fogo digestivo), pois estimula a secreção do suco e enzimas digestivas, assim comoa excressão da bile . O desequilíbrio de samana são a perda de apetite, indigestão, gazes, assimilação inadequada de nutrientes e alteração no peristaltismo.


4. Vyana Vayu é a forma de Vata que dispersa o ar, encontra-se no coração, no sistema circulatório e governa a contração e dilatação dos vasos sanguíneos. Como espalha e controla a energia que circula no corpo, Vyana comanda também a nutrição. Relaciona-se com a capaciade de andar e se movimentar do corpo e sai pela palma dos pés e das mãos. Varizes, estagnação de sangue, ciculação lenta, pernas inquietas, extremidades frias e edema são alguns desequilíbrios deste sub-dosha.


5. Apana Vayu tem movimento para baixo e controla todo o processo de excreção de urina, fezes e menstruação pelo corpo. Encontra-se nostestículos, próstata e uretra no homem, no útero e vagina na mulher e peincipalmente no intestimo grosso. Regula a função renal, a ovulação e movimento do espermatozóides sendo relacionado com fecundação. Está ainda nos movimentos do nervo sciático na parte mais inferior do corpo. Em desequilíbrio desenvolve problemas no trato urinário e genital como retenção de urina, dor e dificuldade em menstruar, dor durante o ato sexual, ejaculação precoce e orgasmo prematuro. Apana, é a força que é reponssável também pelo nascimento, coordenando todo o processo do parto e a absorssão de minerais pelo cólon (relação também com os ossos e a osteoporose).

Um comentário:

  1. Oi, Daiane
    meu nome é Marília, cheguei aqui através do blog da Sílvia. Tenho lido muito sobre Ayurveda e estou encantada! Me identifico com o vata e estou adorando ler teu blog com tuas informações! Já li vários posts e queria te parabenizar pelo teu trabalho!
    Moro na Croácia há 4 anos quase e passo as férias sempre em Floripa, pois meu irmão mora aí! Sou de Porto Alegre.
    Bem, muito prazer e tudo de bom,
    abraço,
    Marília

    ResponderExcluir